Chile: Vale de la Luna e Vale de la Muerte, o combo mais procurado no deserto do Atacama

O deserto do Atacama era o segundo-destino-principal da minha viagem pela América do Sul. Vindo de um passeio de três dias no Salar de Uyuni, na Bolívia, eu havia atravessado a fronteira no mesmo dia que resolvi fazer este passeio. Chegar cansada na cidade de São Pedro do Atacama, ter que procurar hostel, tomar banho, almoçar e trocar dinheiro, foi tudo na maior correria, mas valeu a pena pois consegui aproveitar aquele fim de tarde em lugares muito especiais.

O trajeto, que inclui o Valle de la Luna e o Valle de la Muerte, começa sempre às 16h, saindo da agência, pois o objetivo é pegar o por do sol antes de voltar para a cidade de San Pedro.

Valle de la Luna

Para quem vem do Salar, a primeira sensação é um choque de realidade, pois as paisagens mudam muito. Embora sejam dois desertos, você sai de uma atmosfera de paz, com uma imensidão de branco, lagunas e flamingos, para uma imensidão de pedras, terras avermelhadas e bastante calor. É como ir da água para o vinho!

O Valle de la Luna é uma grande reserva fechada - e, diferente do que eu imaginava, é preciso pagar entrada, por fora do valor do passeio. Pagamos 3.000 pesos chilenos cada, mas há desconto para estudantes, vale a pena! Fizemos uma boa caminhada junto ao guia para chegar no pico principal, da onde tínhamos uma boa visão do "parque" e também de vulcões como o Licancabur ou Likankabur, o vulcão em forma de cone. Ele possui 5.916m de altura e pode ser visto à grandes distâncias.

IMG_9745.jpg

Além da caminhada, também há algumas paradas para tirar fotos, como a das Três Marias, e da pedra em formato de V, além do Canyon das Cuevas del Sol, que forma uma caverna bem interessante. Atenção, claustrofóbicos! Levem, uma lanterna (ou o celular) pois há momentos que não se enxerga nada e que temos que passar por lugares bem apertados, mas nada mais que isso - mochilas, câmeras e outras coisas podem acabar atrapalhando nas passagens mais estreitas. 

Valle de la Muerte

Este local tão famoso, é como uma continuidade da reserva anterior. Alguns passeios fazem o trajeto oposto, passando primeiro por aqui e partindo só depois para o Valle de la Luna, mas sinceramente? Prefiro da forma como foi o meu, pois o horário do por do sol no Valle de la Muerte é incrível!

O visual é indescritível pois possui diferentes curvas e texturas que se misturam formando uma grande riqueza, nem parece que foi tudo esculpido pela própria natureza! Não deixe de tirar foto na Pedra do Coyote! Rola uma fila, mas compensa esperar. E quando for a sua vez...não seja medroso como eu e coloque os pés para fora. Respire, contemple e #takeyourtime! ;)

Depois que o sol se põe, todo mundo volta feliz da vida, com as energias mais do que recarregadas. :) 

Amanhã tem mais post sobre o Atacama, fiquem de olho!

Bjs!


- Leia também -