Itacaré: super guia de viagem

Sobre Itacaré

Localizado na Costa do Cacau, entre Ilhéus e a Península de Maraú (já teve post aqui sobre a Península!), Itacaré é relativamente fácil de se chegar: fica a cerca de 1h do aeroporto de Ilhéus. Uma cidade como esta, onde há muito para se explorar, merece algumas noites de estadia, além de muita energia! Preparado para montar seu roteiro para as suas próximas férias? Aqui vai!

Um pouco de história

Frequentada por surfistas desde os anos 80, Itacaré vivia basicamente do cultivo de cacau. Só no ano de 1998, a rodovia que liga Ilhéus a Itacaré foi construída, tornando seu acesso bem mais fácil e recebendo cada vez mais turistas, inclusive estrangeiros.

Conforme foi se desenvolvendo, Itacaré foi recebendo pousadas e restaurantes e hoje conta com uma grande gama de lugares para todos os tipos de gostos e de bolso. Mas ao mesmo tempo, ainda possui aquele espírito de cidade pequena, mantendo sua essência. Na minha opinião, é isso que faz Itacaré ser tão especial!

Dentro da cidade há um pequeno centro histórico, mas você pode entender um pouco mais da história só de observar as próprias construções das casas e de outros estabelecimentos com vestígios da época colonial e muitas, muitas cores! Já no litoral, você encontra as mais diferentes manifestações da natureza como praias, cachoeiras, rios e mata atlântica, em paisagens de tirar o fôlego!

O que fazer

praia-tiririca

Itacaré é composta por diversas cachoeiras e praias, algumas dentro e algumas fora da cidade. As praias são bem diferentes umas das outras, em termos de extensão e de beleza natural. Perto do centrinho você consegue acessar, inclusive à pé, as seguintes praias: Praia do Resende, Praia da Tiririca, Praia do Costa, Praia da Ribeira, Prainha, Praia das Conchas e Praia das Contas, onde se vai para a cachoeira do Engenho. Estas são praias com bastante infra-estrutura para atender os milhares de turistas que frequentam Itacaré todo mês.

Mais afastadas, mas ainda pertencentes a Itacaré, estão as seguintes praias conhecidas como as praias rurais: Praia da Engenhoca, Praia do Havaizinho, Praia da Gamboa, Praia do Itacarezinho e Praia de Jeribucaçu, onde também há uma cachoeira. Além destas, estão praias menos conhecidas, como Pontal, Siriaco, Serra Grande, Coroinha e São José, as quais não consegui visitar.

 

Além disso, há o centro histórico e a Rua da Pituba, com restaurantes e bares para curtir à noite. Deu para notar que são muitos passeios, né? Então se quiser conhecer tudo, você precisa de alguns dias na cidade e muuuito planejamento. 

Quando ir

Fevereiro foi definitivamente uma ótima época para visitar Itacaré: o tempo estava bom (apesar de chuvas de verão curtinhas no final da tarde), havia bastante onda para os surfistas e ainda era alta temporada, com movimento e agito. Acredito que Janeiro seja mais cheio ainda, e assim mais difícil de fechar passeios e encontrar lugares livres. Mas de toda forma, a cidade é bem preparada para receber turistas.

Entre Março e Maio as chuvas começam a chegar com mais força, mas não costumam durar muito. Ou seja, se você for nessa época vai pegar dias de muito sol, apesar de pegar alguma chuva! Rs! Como costuma fazer muito calor, às vezes essas chuvas caem até bem.

Junho a Agosto já pode-se perceber o inverno, com temperaturas mais baixas, maior chance de chuva e o mar mais mexido. É bom evitar essa época, mas pode ser que você dê sorte e pegue uma semana de muito sol, quem sabe?

Se eu fosse indicar uma época do ano para ir fora do verão, seria de Setembro a Novembro. Em Setembro é a época que as baleias chegam na costa, e isso atrai muitos turistas curiosos para vê-las. Já nos meses de Outubro e Novembro o tempo está mais firme, e são meses em que acontece o campeonato de surf, que também traz certo agito para a cidade. Fora que os preços não são tão caros quanto na alta temporada! ;)

BANNERS_VIAGEM-34.jpg

o que & onde comer

- Das Gurias: café da manhã e lanche. Servem vitaminas, smoothies, sucos, açaí, milkshakes, tapiocas, sanduíches, hambúrguers e bolos. Possuem opções sem glúten, sem lactose e veganas.

- Restaurante Manga Rosa: um clássico de Itacaré, com especialidade em frutos do mar. Servem diversos tipos de prato como entradinhas, saladas, massas, tudo a preços bem acessíveis.

- Restaurante Espaço Brasil: como o nome já diz, a especialidade aqui é bem brasileira. Você encontra peixes, panquecas, carnes e cerveja enquanto curte a decoração nada tradicional do espaço.

restaurante-espaco-brasil

- Vila Barracuda: mix de restaurante e hotel boutique, a cozinha contemporânea comandada pelo chef Fernando Luz é o diferencial da cidade. Se estiver em período de comemoração, reserve uma mesa para o jantar com direito a muitos brindes.

O que levar

- Biquínis bem básicos para curtir as praias e cachoeiras, e quem sabe se aventurar no surf ou no rafting? Nada de muito luxo por lá!

- Protetor solar e protetor labial pois o sol é de arder!

- Chinelos e rasteirinhas é o que você mais vai usar por lá. Deixe os saltos em casa.

- Repelente: você vai precisar nos passeios às cachoeiras e possivelmente nos finais de tarde.

- Batas e vestidinhos, tudo num estilo bem hippie e despojado. Só vá bem arrumada caso queira se destacar na multidão.

- Dinheiro em mãos: é difícil encontrar bancos por lá (só na rodoviária tem um 24h), então tenha uma quantia significativa com você para pagar possíveis guias, lanches e lembrancinhas em locais que não aceitam cartão. Separe no mínimo R$100 por dia. Um passeio fica em torno de R$60.

- Go pro: é possível que você use bastante, tanto nas cachoeiras quanto nas piscininhas naturais que se formam nas praias. ;)

Onde se hospedar

- Pousada aconchegante: com piscinas, ótima para passar tempo em família, com café da manhã completo e ótima localização, indico a Vila do Dengo.

- Pousada mais requintada: indico a Vila Barracuda, um hotel boutique que é pousada e casa ao mesmo tempo. Acabou se diferenciando das outras hospedagens de Itacaré por sua sofisticação e bom gosto, apesar da simplicidade.

vila-dengo
vila-barracuda

Como se locomover

- Taxi: acaba saindo um pouco caro. A melhor opção é visitar as praias próximas a pé, e fechar passeios com translados para locais mais afastados.

- Carro: tenha em mente que pode ter problemas na hora de encontrar vaga.

- Moto táxi: é uma alternativa para trajetos curtos. Você encontra uma fila deles na Rua da Pituba, perto do caminho para as praias.

Como chegar

- Avião: o aeroporto mais próximo é o de Ilhéus, que fica a apenas 76km de distância. O aeroporto é bem pequeno e por isso só recebe vôos diretos de Belo Horizonte, Brasília, São Paulo, Campinas e Salvador (eu, por exemplo, fui do Rio com escala em Congonhas, SP).

Chegando lá, você pode alugar um carro ou pegar um transfer que custa entre R$150 e R$200 (deixe agendado antes de ir).

- Carro: indo de carro, o mapa está logo aqui abaixo para te guiar. Há placas indicando a entrada para Itacaré na BA-001. 

- Ônibus: da rodoviária de Ilhéus saem ônibus das empresas Águia Branca e Cidade Sol e com ônibus saindo praticamente de hora em hora. Para a volta, a Viação Rota faz o trajeto e custa menos de R$20 para a viagem que dura de cerca de duas horas. Um táxi entre o aeroporto e a rodoviária de Ilhéus sai pelo mesmo preço.

 

Informações úteis

  • A voltagem na Bahia é de 110V.
  • Em Itacaré você só encontra agência do Banco do Brasil e caixa 24h perto da rodoviária. É bom levar dinheiro em espécie!
  • Algumas atrações ficam dentro de propriedades particulares, outro motivo para levar dinheiro físico.
  • Fechei todos os passeios com a Agência Lancelotti. Foquei nas praias e acabei não fazendo outros passeios tradicionais como o rafting. Caso queira informações sobre esses outros passeios, fale pelo Whatsapp com o próprio Lancelotti: (73) 9916-7583.

Qualquer outra dúvida, pode deixar aqui nos comentários, ok? ;)

Amanda.


- Leia também -