Laos: infos, roteiro & dicas

Laos? Por que o Laos? Tem tanto lugar para conhecer no mundo, não é mesmo? E por isso que o Laos não pode ficar de fora do seu roteiro no Sudeste Asiático. O Laos é um daqueles países surpreendentes, que mexem com a gente... E você só vai entender isso quando visitá-lo! Não tem como colocar os sentimentos em palavras, então vem entender um pouquinho mais!

Sobre o Laos

LAOS (Lao P.D.R.) ou Republica Democrática Popular do Laos, com governo de república socialista unipartidaria, tem como capital a cidade de Vientiane. Teve sua independência da França em 1949. Um pouco depois, em 1975, houve o movimento comunista onde Panther Lao chegou ao poder

O país faz fronteiras com a China, Vietnã, Camboja, Tailândia e Myanmar que também compartilham o famoso Rio Mekong - um dos maiores do mundo - e tem um clima subtropical úmido, com muitas montanhas. Cheguei ao país por uma travessia a partir da fronteira da Tailândia. Com população de pouco mais de 6 milhões de habitantes, é um país multi-étnico com 60% laocianos e 40% de outras tribos

Sua economia está em constante desenvolvimento, sendo um grande gerador de eletricidade a partir de seus rios e Vietnã, Tailândia e china os maiores consumidores. Economia majoritariamente agrária, com a plantação de arroz como maior atividade comercial. Acredite, eles comem muuuito arroz, até mesmo puro!

O país não possui ferrovia, as rodovias são muuuito precárias e muitas vezes não transitáveis (pude comprovar isso in loco. Uma viagem de 200 km pode levar de 8h a 12h dependendo do dia. Foi o que aconteceu na minha viagem de Luang Prabang para Vang vieng!). 

Desde março de 2009, o Laos tem uma ligação ferroviária com a Tailândia. Uma estrada de ferro de 3,5 km liga a rede ferroviária tailandesa de Nong Khai sobre a ponte da amizade Thai-Lao com a recém construída estação ferroviária Thanaleng, na fronteira do lado laociano. Eu pude experiementar essa travessia e indico bastante o trem noturno saindo de Vientiane!

A religião majoritária, assim como na Tailândia é o Budismo Teravada (68%) e animista (32%). O budismo contribuiu significantemente pra a cultura do Laos. A música laociana é dominada pelo khaen, flauta de bambu considerada um instrumento nacional.

É distribuído em 16 provincias. As comunicações são limitadas. Mais de 26% do seu orçamento é coberto por doações internacionais. O país tem 2 patrimônios culturais da humanidade: a cidade de Luang Prabang com a famosa cachoeira Kuang Si e o templo Wat Phou

LAOS-LUANG-PRABANG-13.jpg
LAOS-VIENTIANNE-02.jpg

O roteiro

Fiz um roteiro bem básico de 7 dias pelo Laos, indo do norte ao sul, e passando pelas três principais cidades: Luang Prabang, Vang Vieng e Vientiane. Super indico esse roteiro, mas caso tenha tempo, indico mais um dia em Vientiane para conhecer melhor a parte histórico-cultural e os centros budistas da região.

Segue abaixo a forma que resolvi dividir meus dias:

Dia 1: Chiang Mai  (Tailândia) – Luang Prabang

Dia 2: Luang Prabang

Dia 3: Luang Prabang – Vang Vieng

Dia 4: Vang Vieng

Dia 5: Vang Vieng

Dia 6: Vang Vieng - Vientianne

Dia 7: Vientianne – Bangkok (Tailândia)

Acredito que a principal cidade para conhecer é de fato Luang Prabang, que tem o por do sol lindo, a cachoeira mais incrível do mundo e uma vida noturna animada (muitos viajantes se reúnem no Bar Utopia e de lá seguem para o boliche que ninguém sabe como chegar, aparentemente é algo ilegal! Mas é muito divertido e acho que não viveria isso em nenhum outro lugar do mundo... fomos num grupo de 4 pessoas). Além disso, não deixe de visitar o Night Market e o por do sol no Rio Mekong.

Vang Vieng é legal se você curte beber e se divertir pois você nunca vai viver as mesmas cenas 2 vezes. Você aluga uma bóia no centro, leva no tuk tuk até o río e, chegando lá, você vai parando de bar em bar e descendo o rio até mais ou menos a hora de escurecer (quando sai o último tuk tuk de volta). Sensacional para quando se tem 24 anos de idade! Muitos mochileiros amam essa energia da cidade e acabam ficando para trabalhar um período em hostels e bares da cidade. 

Vientianne foi apenas uma parada estratégica para pegar o trem noturno de vota para a Tailândia mas ainda assim valeu a pena conhecer pois é a capital, onde ficam os pontos turísticos como o "arco do triunfo" (lembrando que foi colônia francesa), o Palácio Presidencial, entre outros, inclusive vários templos budistas! O Night Market da capital não é muito bom, vende muita buginganga, mas pode ser o único passeio para a sua noite... 

No meu caso, atravessei a fronteira da Tailândia para o Laos a pé, saindo de uma van de Chiang Mai até a fronteira, seguido por um tuk tuk até o outro lado, e uma outra van até a primeira cidade no Laos. Dormimos uma noite nessa cidade e no dia seguinte seguimos de van por mais 1h até o porto do rio onde pegamos um barco slow boat em cerca de 7h de duração até Luang Prabang. Longa viagem ao todo... creio que durou umas 30 horas!

Mas foi muito legal pois conhecemos um grupo que nos acompanhou em todo esse roteiro de uma semana no Laos, passando pelas 3 cidades. Na volta, pegamos o trem de Vientiane até Bangkok, numa viagem noturna com 15h de duração passando pela imigração (a essa altura já estávamos acostumadas com essas travessias de fronteira! Rs!).

LAOS-LUANG-PRABANG-12.jpg
TUBING-VANG-VIENG-LAOS-5.jpg
LAOS-VIENTIANNE-05.jpg
IMG_3400.JPG

Dicas

• A moeda do Laos é o Kip (K). É um destino que chama a atenção pelos bons preços, com entradas em pontos turísticos custando 1 USD, refeições completas a 10 USD - por pessoa - e corridas de tuk-tuk que não chegam nem a 3 USD! Aproveite!

• Estando no Laos, não deixe de conhecer a Kuang Si Waterfall. Foi um dos meus pontos turísticos favoritos de todos os países que já visitei!

• Cidadãos brasileiros necessitam de visto de entrada no Laos ($40); o documento deve ser adquirido na chegada ao país (aeroportos ou fronteiras com Cambodja, Vietnã, China e Tailândia). Atenção: você precisa ter em mãos duas fotos de passaporte.

• Alguns estabelecimentos e prestadores de serviços de Luang Prabang podem aceitar o pagamento em dólares e em Bath tailandês (mas não são todos). A melhor alternativa, portanto, é ter sempre uma quantidade significativa da moeda local consigo.

• Se a intenção é usar o cartão de crédito, é sempre bom perguntar antes no estabelecimento, porque a forma de pagamento costuma ser popular em hotéis e grandes restaurantes da cidade, mas não em todos os estabelecimentos.

• Os templos são lugares sagrados, onde é proibido entrar calçado e vestido com camisa sem manga, decotes, shorts e saias acima do joelho. Uma solução para os que vão desprevenidos são os sarongues.

• No Laos você encontra uma série de bons restaurantes e cafés - vários deles especializados na gastronomia francesa, uma das heranças da época em que o país foi colonizado.

*Algumas informações foram retiradas do site Melhores Destinos.
LAOS-VANG-VIENG-06.jpg

Gostou? Aproveita muito a viagem e não esquece de passar aqui e me contar tudo!

Beijocas,
Amanda.