Minha experiência atravessando do Salar de Uyuni para o Deserto do Atacama

BOLIVIA-CHILE-DESERTO.jpg

O terceiro dia no Salar de Uyuni para quem vai da Bolívia para San Pedro de Atacama, no Chile, é o mais rápido, durando apenas algumas horas pela manhã. É possível ver o nascer do sol da estrada, pois os guias costumam sair bem cedinho, até para que os turistas não percam seus transfers na fronteira. Quando se está na Bolívia, nada é tão fácil quanto parece!

Dica #1: Fique ligado no horário. Eu, por exemplo, perdi meu transfer, que estava marcado para 9:30 da manhã por conta de um atraso desnecessário do meu guia. Ele sabia que tínhamos horário e, mesmo assim, ficou enrolando muito para sair de manhã. Achamos que foi uma vingança pelo dia anterior, no qual demos aquela atrasadinha básica de brasileiro, mas dessa vez ele jogou baixo, vai! 

A sorte foi que outro motorista aceitou nos levar, pois chegamos na fronteira depois das 10h e o nosso carro/van já havia partido. Caso perdêssemos esse outro transfer, que era o último, nós ficaríamos no meio do deserto até o dia seguinte, esperando no frio! Imagina o desespero!

Esse post será basicamente para alertá-los disso, pois as paisagens em si não estavam tão interessantes a ponto de sairmos do carro! Mas vou mostrar o que consegui registrar:

LINHA-CINZA.png

Spots

Geisers Sol de Mañana

Chegamos bem cedinho no local para pegar o horário que os geisers estão em atividade. É possível andar por ali, observar por um tempo a ação dos geisers e tudo mais. Muito legal para quem vê pela primeira vez! Depois paramos por um tempo nas águas termais do Salar, mas não tenho fotos dessa parte porque eu estava com muito frio e aproveitei para dormir mais um pouco dentro do carro quentinho! :P 

Deserto de Dali

Formações rochosas no estilo das pinturas de Salvador Dali

Formações rochosas no estilo das pinturas de Salvador Dali

Visualizamos montanhas e mais montanhas enquanto nosso guia corria para nos deixar a tempo na fronteira, pois essa hora estávamos, de fato, pressionando ele! Resultado: passamos direto pela Laguna Blanca e pela Laguna Verde - ele até deu uma paradinha, mas a cor não estava bonita, e por isso, nos apressamos para continuar o caminho. Acho que o melhor horário para visitá-la é na parte da tarde, ficamos um pouco chateados com isso. Mas estávamos tão atordoadas com o horário que nem iríamos curtir muito!

IMG_9653.jpg

A fronteira

Chegando na correria para pegar o carimbo (adoro!) e pagar uma taxa que eles cobram pela saída do país - que não é obrigatória, mas como não tínhamos tempo para discutir, deixamos os últimos bolivianos lá com os caras e fomos em direção à van que nos acolheu bondosamente. Foi aí que terminou nossa aventura pelo famoso Deserto do Sal, na Bolívia! Experiência única e indescritível, pela qual eu sempre serei grata!

Para ler sobre meu primeiro dia no Salar de Uyuni, clique aqui.

Para saber como foi o segundo dia, clique aqui.

Para saber sobre o resto da viagem, incluindo Deserto do Atacama e Machu Picchu, fique de olho! ;)

Beijocas,
Mandzy.

LINHA-CINZA.png
 
VC-TB-PODE-CURTIR.jpg
 

Explorando o deserto da Bolívia: lagunas com flamingos

BOLIVIA-LAGUNAS-FLAMINGOS.jpg

O segundo dia de passeio pelo Salar de Uyuni foi o mais agitado, e com visuais lindos! Acordamos cedo, tomamos o café da manhã servido pelo nosso guia - Apple! - e continuamos descendo de carro pelo deserto.

Se você perdeu: Veja aqui como foi o primeiro dia no Salar de Uyuni!

LINHA-CINZA.png

Spots

A primeira parada foi num trilho de trem no meio do nada - ou melhor, no meio de um frio absurdo - apenas para tirar fotos. Ao fundo, vimos o primeiro vulcão da viagem, o Volcán Ollague e logo chegamos no mirador para observá-lo mais de perto. Mas com o passar da viagem, vimos tantos vulcões que não estamos nem sentindo falta deles aqui no Brasil! Rs!

Laguna Cañapas

Essa foi a segunda parada, que nos surpreendeu muito pela beleza do conjunto - montanhas, laguna, vegetação e FLAMINGOS!!! Quando chegamos, os eles estavam bem distantes, mas aos poucos foram se aproximando e pudemos observá-los bem de pertinho. Concluindo, flamingos são mesmo os animais mais lindos do mundo! :)

IMG_9454.jpg

Nessa parada, a mais longa do passeio, aproveitamos para almoçar depois de quase 1 hora observando a paisagem e tirando fotos. Sério, eu poderia passar um mês inteiro neste lugar. A paz que se sente ali é algo indescritível.

Para o almoço, nosso guia simplesmente abriu a mala do carro e organizou as travessas e panelas de comida e pediu para nos servirmos. Comemos arroz com frango como em todos os outros dias, porém desta vez a comida estava bem mais gelada! Comemos ali mesmo, sentados nas pedras. A sorte é que nessa hora o sol estava bem forte, então não congelamos. :) 

Mas por falar em congelar, havia placas de gelo espalhadas pelo local e muitas mini lagunas congeladas. Reparem:

Tentei algumas selfies, mas eles estavam muito distantes...

Tentei algumas selfies, mas eles estavam muito distantes...

Até que consegui uma boa! Selfie com os flamingos lindos, check!

Até que consegui uma boa! Selfie com os flamingos lindos, check!

Laguna Hedionda

Eu tinha ouvido falar bastante nesta laguna, mas ela não me encantou tanto quanto a anterior, talvez pelo fato de termos ido na outra primeiro. Quem faz o trajeto oposto - do Chile para a Bolivia, deve se surpreender mais!

Nela, há muitos flamingos e um hotel/restaurante com wi-fi! Sim, no meio do nada é possível encontrar um lugar com conexão, porém este era o único em todos os 3 dias de passeio. Lógico que fiquei me coçando para usar pelo menos 5 minutinhos de internet, mas realmente não rolou pois estávamos apenas de passagem. Era preciso pagar algo como 5 reais para usar por 15 minutos, mas acho que mesmo que eles cobrassem 50 reais, muitos turistas usariam! Vocês conseguiriam resistir? 

Laguna Honda

Aquela típica parada de 5 minutos para tirar foto e partir! Ficamos na dúvida se valeria sair do carro quentinho, pois estávamos vendo pela janela, mas eu resolvi sair e tirei essas fotos abaixo. A cor da água é bem bonita, mas lá não tinha nenhum flamingo... confesso que já estava com saudades deles! Rs!

Árbol de Piedra

Agências de turismo costumam enaltecer vários spots desnecessariamente, e esse foi um deles. É interessante ver que essa árvore de pedra foi formada naturalmente com o vento, quando parece ter sido esculpida pelo homem. Mas a parada nesse local foi muito demorada e estava muito frio. Comecei a ficar com uma dor de cabeça muito forte devido à altitude, pois não parávamos de subir. Resolvi então, esperar dentro do carro.

Essa foi a última parada antes de continuarmos viagem por mais um tempo até o hotel que ficamos hospedados na segunda noite, bem de frente para a Laguna Colorada. Apesar do frio, tivemos uma noite boa com direito a vinho - dado pelo nosso guia! 

Amanhã vou contar sobre o terceiro e último dia no passeio do Salar de Uyuni. Fiquem ligados! Bjs!

Se você perdeu: Veja aqui como foi o primeiro dia no Salar de Uyuni!

LINHA-CINZA.png
 
VC-TB-PODE-CURTIR.jpg
 

Conhecendo o incrível Salar de Uyuni na Bolívia

GUIA-VIAGEM-SALAR-UYUNI.jpg

O Salar de Uyuni é a maior planície de sal do mundo, com 10.582 quilômetros quadrados. Fica localizado no sudoeste da Bolívia e está a uma altitude de 3.656 metros acima do nível do mar - mas em algumas partes do passeio, ultrapassa os 4 mil metros de altitude! Neste post vou destacar os pontos pelos quais passamos, mas não vou entrar em muitos detalhes, portanto me perguntem nos comentários caso tenham alguma dúvida!

LINHA-CINZA.png

Sobre o tour

O passeio de 3 dias é um dos mais procurados por turistas, pois permite visualizar diversos tipos de paisagem, e iniciar e finalizar o passeio em diferentes pontos. No meu caso, comecei na cidade de Uyuni e terminei em São Pedro do Atacama, já no Chile. A própria agência cuida de tudo, e oferece bastante coisa no pacote, como hospedagem, comida, transfer e em alguns casos, água e saco de dormir.

O resultado do seu passeio pode variar em função do seu guia. O guia é quem irá fazer tudo por você nessa viagem, desde dirigir o carro até fazer a comida. Nosso guia era o motorista da foto abaixo, o Apple - não consigo lembrar o nome correto dele, só gravei esse apelido! No geral, ficamos satisfeitos com tudo, mas quase perdemos o transfer para o Atacama por causa de um atraso da parte dele, portanto, fiquem espertos! 

SPOTS

Cemitério de trens

Localizado no deserto da planície andina, essa parada permite visitar trens que foram completamente abandonados após um grande ápice de produção de minérios retirados principalmente da região de Potosí que fica próxima à Uyuni. Aos poucos, os minérios ficavam escassos e os vagões foram sendo desativados, entre as décadas de 1920 e 1930, episódio agravado pela crise de 1929. 

A ideia era intensificar os negócios e fazer o país prosperar, hoje funciona como um museu a céu aberto.

O imenso Deserto de Sal

Estima-se que essa imensidão contenha 10 bilhões de toneladas de sal, das quais menos de 25 mil toneladas são extraídas por ano. Ele contém entre 50 e 70% das reservas mundiais de lítio e foi formado como resultado de transformações entre diversos lagos pré históricos.

A construção abaixo, feita com nada menos do que sal, abrigava um hotel que hoje está desativado e funciona apenas como ponto de parada para almoço de turistas. É interessante entrar e ver como tudo pode ser construído com sal - me lembrou um pouco as estruturas de gelo que existem em determinados países como bares e hotéis de gelo. 

Ao lado do hotel foi construída uma base para abrigar bandeiras de diversos países. Curiosamente, há duas bandeiras do Brasil no local. Em alguns momentos forma-se uma fila para se tirar foto ali, então o jeito é ser rápido!

Logo depois do almoço, os guias já estão acostumados a parar no meio do salar para tirar fotos em perspectiva. Sim, eles também viram fotógrafos, e levam até itens de brinquedo, comida, entre outros para servir como protagonista. No nosso caso, o que mais vingou foi o dinossauro, e apesar de demorar para a foto ficar boa, o que vale é a diversão do momento!

Aproveite, pois essa é uma das melhores paradas do passeio, quando você percebe o quão pequeno você é no meio de toda aquela imensidão de sal - e sim, você fica pequeno na foto em perspectiva também!

"Ilha" Incahuasi: cactus gigantes

Nesta "ilha" no meio do sal, é possível encontrar cactos de 10 metros de altura - é sério, são realmente grandes! - e diferenciar espécies "femininas" e "masculinas" pelo número de braços que possuem. Eu, de fato, nunca tinha visto cactos tão grandes. Mais uma parada para se sentir como uma formiguinha neste passeio...Querida, encolhi as crianças!

Sunset no Salar

Todas as empresas que pesquisei faziam a parada para o por do sol, mas não custa nada perguntar antes de fechar a sua agência, pois este é um dos maiores espetáculos que já presenciei. Não tem como explicar... todo aquele branquinho começa a ganhar tons maravilhosos e faz você se sentir dentro de um arco íris com 360 graus de cores.

O guia só para com o carro e espera até o sol se por, não é nada demais mas é algo incrível ao mesmo tempo. Foram 15 minutos de lavar a alma! ;)

E a viagem continua amanhã no próximo post, onde vou destacar os principais pontos do segundo dia no Salar de Uyuni! Deixem suas dúvidas aqui embaixo que eu terei o maior prazer em ajudar!

Beijocas,
Mandzy.

LINHA-CINZA.png
 
VC-TB-PODE-CURTIR.jpg