Comemorando meu aniversário no Yoo2 | #MandzyTurns27

YOO2-BDAY-AMANDA-5.JPG

Não sei você, mas eu AMO comemorar aniversário e acho super importante ter tudo bem planejado e executado, principalmente quando se trata de decoração (olha a designer aqui!). Nesse ano, isso não foi uma preocupação, já que resolvi comemorar num ambiente que já tem toda uma estrutura montada para receber convidados, o rooftop do hotel Yoo2!

Agora você vai ver um pouco sobre a experiência de comemorar aniversário nesse, que é o hotel mais cool do Rio de Janeiro, com uma vista incrível para a Enseada de Botafogo e um atendimento impecável!

YOO2-BDAY-AMANDA-3.jpg
YOO2-BDAY-AMANDA-12.JPG
YOO2-BDAY-AMANDA-1.jpg

Horários

O Yoo2 conta com a presença de um DJ nas noites de sexta e sábado, das 19h às 00h. Como eu adoro comemorar com música, fechei meu aniversário num sábado, para que eu e meus amigos pudéssemos curtir bastante um fim de tarde e noite bem animados!

YOO2-BDAY-AMANDA-14.JPG

Preços

Para reservar um espaço para seus convidados no rooftop do Yoo2, você precisa depositar uma quantia, que vai variar de acordo com o número de convidados. Até 15 pessoas é um valor, depois de 15-30 é outro e assim por diante. Para confirmar os preços certinhos, é só você enviar um e-mail diretamente para eles (hostess@yoo2rio.com.br) que vão tirar todas as suas dúvidas!

Vale ressaltar que cada convidado recebe uma cartela para consumação, e em dias com DJ, há uma taxa de R$20,00 de couvert artístico. Comidas e bebidas não estão incluídas a menos que você feche um pacote personalizado com o que pretende oferecer aos seus convidados.

YOO2-BDAY-AMANDA-8.JPG

Hospedagem

Caso você queira se hospedar também, é possível, mas você vai pagar extra por uma diária. O máximo que eles conseguem é um abatimento no valor, que pode ser negociável dependendo da demanda na data que você busca.

Como os preços não são nada absurdos, eu indico fechar esse combo reserva no rooftop + reserva do quarto, pois assim você pode terminar a noite dormindo numa cama super confortável, além de acordar com um café da manhã delicioso te esperando, além de poder aproveitar uma piscininha antes de voltar pra casa.

No meu caso, além de dormir no hotel após a festa, eu também tirei algumas horas antes da reunião para me arrumar no quarto. Fiz o check in por volta das 15h, chamei a maquiadora Lilian para me deixar vibrando e às 18h já estava pronta para receber os convidados. Espia só:

YOO2-BDAY-AMANDA-6.JPG
YOO2-BDAY-AMANDA-4.jpg
YOO2-BDAY-AMANDA-11.JPG
YOO2-BDAY-AMANDA-2.jpg
YOO2-BDAY-AMANDA-7.JPG

A festa

Para a festa propriamente dita, encomendei um bolo da minha amiga Nathália, que comanda a Bakehouse. Separei uma referência do Pinterest e ela conseguiu reproduzir exatamente da forma como eu queria! 

AC-FESTAS

Balão em formato de estrelas, guardanapos, velas e canudos, foram todos comprados na AC Scraps & Gifs em Ipanema.

O look foi todo loja Shoulder Shopping Leblon (separado pela vendedora Fernanda Amaral), sapatos Schutz e brinco de estrelas Le Berbat.

Agradecimentos especiais: aos amigos que compareceram, à equipe do Yoo2, à maquiadora Lilian e à minha família. Todos fizeram meu aniversário de 27 anos intitulado "Under the Stars" ser uma noite muito agradável e especial. Nunca vou me esquecer desse dia! <3

YOO2-BDAY-AMANDA-10.JPG
YOO2-BDAY-AMANDA-9.JPG
YOO2-BDAY-AMANDA-13.JPG
YOO2-BDAY-AMANDA-15.JPG

Créditos das fotos: minha amiga e fotógrafa Gaia Vani.

San Andrés: super guia de viagem

SAN ANDRES.jpg

Sobre San Andrés

CENTRINHO-SAN-ANDRES.jpg

O destino de hoje é incrível mesmo! Localizado no Mar do Caribe, San Andrés é um arquipélago composto pelas ilhas de San Andrés, Catalina e Providência, além de várias ilhotas chamadas Cayos. A ilha principal é San Andrés, que, apesar de pertencer à Colômbia, está a 780 km de distância do continente colombiano, e bem mais perto da Nicarágua - pois é! E como você deve saber, a água do mar na região tem tantas variações de tons, que ganhou o apelido de Mar de Sete Cores! 😍


Um pouco de história

Por influência dos ingleses que chegaram nas ilhas, grande parte dos nativos fala mais inglês do que espanhol. Descobri que também falam o crioulo sanandresano, um dialeto bem misturado que se criou a partir do inglês, um pouco de castelhano e alguns idiomas africanos. Uma loucura!

San Andrés foi a base militar de um notável personagem conhecido como Pirata Morgan, e assim foi ganhando visibilidade como um destino turístico. É uma ilha bem pobre e pode te decepcionar no primeiro momento, como aconteceu comigo... É que ela precisa de cuidado, de organização... mas tem um mar tão lindo e passeios tão surpreendentes que faz a gente mudar de opinião rapidinho! Saí de lá achando San Andrés super atraente e insisto que vale a pena conhecer! 


O que fazer

Peatonal: a principal praia da ilha fica no centro, oferece a melhor estrutura para os turistas e, de quebra, tem lojinhas e um calçadão bom para caminhar - seja dia ou noite, um passeio por ali é sempre agradável. O mar nessa praia costuma ser calmo e fica raso por um bom trecho dentro da água, sendo propícia para pessoas de todas as idades, incluindo crianças.

PRAIA-PEATONAL-SAN-ANDRES.jpg

Jhonny cay: é a ilha mais famosa de San Andrés, onde provavelmente você vai tirar as fotos mais lindas da viagem! Boa para almoçar, tomar uns drinks e mergulhar na água quentinha. O mar de Johnny Cay tem as cores incríveis da região, e esseé um passeio definitivamente imperdível!

JHONNY-CAY-SAN-ANDRES-2.jpg

Aquário e Haynes Cay: o Aquário é uma pequena ilha próxima a San Andrés com águas tranquilas e cristalinas. O lugar é bem pequeno mas recebe visitantes todos os dias e oferece toda a estrutura de que um turista precisa: lanchonete, banheiro, aluguel de equipamento para mergulho como snorkeling, aluguel de botas, venda de artesanato etc. Também faz parte do mesmo passeio, a travessia para Haynes Cay, que é outra ilha que você chega em 5 minutos de caminhada pelo mar com água na canela. Boa para curtir a paisagem e descansar!

West View: não é exatamente uma praia, mas um pequeno parque. Nesse local, que é excelente para snorkel, você encontrará lanchonete, tobogã, trampolim, estrutura para poder nadar entre dezenas de peixes, fazer mergulho com balão ou escafandro. 

Caverna de Morgan: ou La Cueva de Morgan, é um ponto turístico envolvido por lendas e histórias. Além da própria cova, que teria sido o local onde o Pirata Henry Morgan escondeu um tesouro, o espaço possui algumas casas-museus que dão uma prévia da história de San Andrés. Dizem que é bem interessante, mas não estava na minha lista.

Hoyo Soplador: uma fenda no meio das pedras que solta vento devido ao balanço das ondas no mar. Não cheguei a conhecer...

Cocoplum: uma praia quase sem ondas por onde se vai caminhando até Rocky Cay, uma ilhota que é outro ponto de snorkeling. Com águas claras e calmas, o lugar tem um bom trecho de areia e é conhecido por oferecer uma área all inclusive para os hóspedes da rede Decameron ou pagantes vindos de fora, como foi o meu caso. Qualquer pessoa que queira conhecer a praia pode visitá-la, mas essa estrutura do hotel só pode ser utilizada por quem tiver uma pulseirinha de identificação. No meu caso paguei 45.000 COPs. Se vale a pena? Se você tiver alguns dias na ilha pode valer, mas saiba que as comidas e bebidas são bem simples, assim como quase tudo na Colômbia!

ROCKY-CAY-SAN-ANDRES.jpg

La Piscinita: não é uma praia, mas um pedacinho do mar cercado por pedras indicado para observar peixes e fazer snorkel. Ele é como uma versão mais simples de West View, com bem menos movimento de pessoas - por isso, indicado para quem prefere lugares mais vazios. 

Volta pela ilha: o passeio que margeia toda a costa de San Andrés pode ser feito de diferentes maneiras: bicicleta, moto, carrinho de golfe e chiva, uma espécie de caminhão adaptado para transportar passageiros. Através dele você pode fazer paradas nos principais pontos da ilha, como a Caverna de Morgan, West View, La Piscinita, Hoyo Soplador, San Luis... 

Compras no freeshop: a Avenida Colón fica paralela à praia e é uma das principais avenidas de San Andrés. Por lá você encontrará hotéis, restaurantes e muitas lojinhas. Há lojas como United Colors of Benetton e La Riviera (a maior loja freeshop de San Andrés), além de estabelecimentos menores que vendem comidinhas. Las Américas é uma das vias mais importantes de San Andrés, e também um bom local para fazer compras, pois há grande diversidade de lojas de roupas, calçados, esportes, perfumes, entre outras. Já a Avenida Providência tem lojas como Madeira (indicada para roupas e produtos de higiene e beleza), La Riviera (que vende produtos de free shop) e Presidente (ótima para encontrar roupas de marcas famosas). 

Boate Coco Loco: é o point de San Andrés. A boate fica cheia nos finais de semana e normalmente não exige nenhum pagamento para entrar, o que permite que você possa se divertir e dançar sem pagar nada além de bebidas e petiscos que consumir. O local toca principalmente salsa e reggaeton, ritmos populares na ilha. Eu fui num domingo, por volta das 22h e estava beeem vazia, então nem esperei pra ver se ia "bombar", preferi buscar um bar legal e beber alguns drinks!

Blend Bar e Casino: esse foi o outro ponto que encontrei para curtir a noite de domingo. Fica aberto até tarde e você pode beber drinks em copos bem bonitos e jogar no casino, caso seja a sua praia. Fica do lado do Decameron Isleño, o melhor da rede de hoteis em San Andrés!

BLEND-BAR-SAN-ANDRES.jpg

Quando ir

PRAIA-SAN-ANDRES.jpg

San Andrés apresenta altas temperaturas durante o ano todo. Seja no inverno ou no verão, prepare-se para sentir um calor de pelo menos 27ºC, que é a média de temperatura anual do local. 

O que se sabe é que as chuvas são mais frequentes de maio a dezembro, porém viajar nesse período não significa ficar embaixo da água o tempo todo. O tempo muda constantemente na ilha, e é comum o dia amanhecer nublado e depois ficar ensolarado - também é comum a ocorrência de chuva através de nuvens passageiras. Viajando nos meses com mais chuva, tente esticar um pouco a viagem e ficar mais dias do que o previsto, para ter mais chances de pegar belos dias de sol.

San Andrés está fora da rota de furacões, mas pode ser afetada indieretamente por furacões no Caribe, sofrendo com ventos e chuvas, mais comuns entre agosto e outubro. 

Os períodos de alta temporada - consequentemente, de preços mais altos - vão do final de dezembro ao final de janeiro, de meados de julho a meados de agosto, além da Semana Santa. Meses em que não ocorrem férias, como maio, junho, setembro e outubro, são bons para encontrar oferta de hotéis e negociar valores de passeios.  


BANNERS_VIAGEM-34.jpg

o que & onde comer

Frutos do mar. Sempre. San Andrés é um destino onde se come bem e barato. Dos restaurantes mais simples aos mais refinados, você encontra preços bem mais baixos do que no Brasil, e pode se dar ao luxo de aproveitar para experimentar vários pratos sem se assustar com a conta no final.

O prato típico da região, chamado de rondón, é como uma sopa com peixe ou caracol que leva ainda mandioca, batata e banana. A sopa de caranguejo, o arroz de coco e o patacón, uma espécie de bolinho frito feito com batata ou banana amassada, estão sempre nos menus dos restaurantes. Confesso que depois de alguns dias na Colômbia, fiquei um pouco enjoada do arroz de coco e dos patacones, por isso indico que você sempre reveze e não faça como eu de querer comer sempre a mesma coisa! Rs!

Na hora de escolher a bebida, também há muitas opções. As mais pedidas são o coco loco, que leva três bebidas alcoólicas diferentes, ou o coco fresa, que não costuma ter álcool. Se a ideia é tomar algo leve, aposte na limonada de coco ou num refrigerante de maçã, bastante popular na Colômbia. Há outro refrigerante bem popular chamado Colombiana, mas confesso que não curti muito não!

RQPC5144.jpg

Casablanca Restaurante: o restaurante que leva o mesmo nome do hotel, foi minha primeira escolha em San Andrés, para o almoço de estreia na ilha. Se eu pudesse voltar a San Andrés repetiria os mesmos restaurantes da rede Casablanca. Você poderá também servir-se do cardápio de outros restaurantes da mesma rede.

ALMOCO-CASABLANCA-SAN-ANDRES.jpg

Mahi Mahi: é um restaurante tailandês e destoa dos outros restaurantes da região por ter  ingredientes diferentes, típicos da cozinha asiática, em seu preparo. O lugar serve pratos à base de peixes e frutos do mar e por isso é indicado para o dia em que você quiser uma comida com tempero diferente. 

Sea Watch: mais um restaurante do Casablanca, o Sea Watch é mais simples, como se fosse um café. Serve pizzas, massas bem gostosas, e uns doces típicos como o folhado colombiano. O que mais me chamou atenção nos restaurantes da rede foi a decoração, sempre impecável e de muito bom gosto!

La regatta: Considerado o melhor restaurante da ilha, o La Regatta tem uma localização muito especial: está em cima do mar, com uma vista linda para a Baía de San Andrés. O restaurante é todo feito em madeira, decorado com motivos marinhos e tem um perfil refinado, ótimo para uma refeição a dois. Sentar-se próximo a uma janela e sentir a brisa do mar é o toque perfeito para que o local seja inesquecível. É um lugar ótimo para ir durante o dia, por causa da vista, ou durante o jantar, quando fica todo iluminado. Sua combinação de preço e ambiente é tão atrativa que a vontade é voltar lá várias vezes. 

LA-REGATTA-SAN-ANDRES.jpg

Donde Francesca: Se a ideia é comer olhando para uma praia bonita, vá ao Donde Francesca. O atendimento não é dos melhores, mas a comida é de dar água na boca! O restaurante serve peixes e frutos do mar, por isso não é uma boa opção para quem não curte esse tipo de culinária.

Gourmet Shop Assho: é um dos melhores restaurantes de San Andrés, não apenas pelo cardápio variadíssimo como também pela decoração charmosa, cheia de garrafas de vinho. O lugar tem bom atendimento e música ambiente divertida, mas o que chama a atenção mesmo é a variedade de pratos do menu.

Pallet&Co.: paleteria com ótima localização, bem no centrinho de San Andrés, em frente à Avenida Providência, foi uma grande descoberta! Eles fazem paletas de diversos sabores inusitados como Limonada de Coco, Rum com passas, torta de limão, e minha favorita foi a de chocolate con fresa. Super indico!

PALLET-CO-SAN-ANDRES.jpg

O que levar

- Biquínis bem básicos para curtir as praias e cachoeiras, e quem sabe se aventurar no surf ou no rafting? Nada de muito luxo por lá!

- Protetor solar e protetor labial pois o sol é de arder!

- Chinelos e rasteirinhas é o que você mais vai usar por lá. Deixe os saltos em casa.

- Repelente: você vai precisar nos passeios às cachoeiras e possivelmente nos finais de tarde.

- Batas e vestidinhos, tudo num estilo bem hippie e despojado. Só vá bem arrumada caso queira se destacar na multidão.

- Dinheiro em mãos: é difícil encontrar bancos por lá (só na rodoviária tem um 24h), então tenha uma quantia significativa com você para pagar possíveis guias, lanches e lembrancinhas em locais que não aceitam cartão. Separe no mínimo R$100 por dia. Um passeio fica em torno de R$60.

- Go pro: é possível que você use bastante, tanto nas cachoeiras quanto nas piscininhas naturais que se formam nas praias. ;)

O-QUE-LEVAR-SAN-ANDRES.jpg

Onde se hospedar

San Andrés oferece acomodações para todos os gostos e bolsos. Há desde hotéis all inclusive aos hostels com quartos compartilhados, basta escolher o tipo de hospedagem que melhor se encaixa em seu perfil de viagem. Na ilha há muitos apartamentos simples que também podem ser alugados para temporada.

O lugar conta com a forte presença da rede Decameron, que possui acomodações no sistema all inclusive e, consequentemente, diárias com preços mais salgados.

No que diz respeito à localização, não há muito mistério. Há hotéis espalhados por toda ilha, porém os que ficam mais bem localizados estão nas redondezas da Peatonal. Hospedando-se nessa região você conseguirá fazer muitas coisas caminhando, como conhecer as lojas ou ir aos restaurantes.

Quem ficar em outros bairros precisará de algum transporte alternativo para chegar ao centro, pois o comércio se concentra lá. Na região você encontra hotéis legais como o Casablanca, que fica de frente para o mar. 

Se você prefere lugares mais reservados e descarta estar próximo à movimentação do centrinho, pode escolher hotéis próximos da praia, como o Cocoplum, em San Luís. Essa região tem pouco comércio, entretanto é das mais bonitas de San Andrés - mesmo que você não se hospede ali, vá ao menos para conhecer. Segue abaixo minhas sugestões:

Portobelo Plaza de Las Américas: esse hotel não é chique, mas possui uma estrutura muito boa! Em forma de prédio, com piscina, café da manhã e atendimento excepcional, a 5 minutos andando da praia, além de super limpo! Recomendo bastante para famílias que não querem se prender ao sistema all inclusive, e sim explorar bastante a ilha e depois voltar para dormir com conforto. 

Decameron Isleño: o melhor hotel da região, sem dúvidas, fica de frente para a praia. Oferece piscina, sistema all inclusive, quartos com varanda e centro de spa. Quando visitei, percebi que havia bastante gente da terceira idade, o que garante ter uma estrutura e serviços bastante satisfatórios! 

Decameron Aquarium: também com uma ótima estrutura, esse hotel é ideal para crianças pois conta com atividades na piscina, sistema all inclusive, e tudo que uma família busca na hora de se hospedar. Para casais, já não sei se indico, pois achei um pouco bagunçado no sentido de ter animador, muita circulação de gente no momento em que visitei e pouca privacidade.

Casablanca: o meu queridinho de San Andrés, além de ter ótima localização e estrutura, piscina e conforto, ele ainda conta com uma série de restaurantes que podem ser usados por hóspedes e não hóspedes. Meio boutique, meio tradicional, super indico para jovens casais que buscam qualidade, por ser mais exclusivo e de ótimo nível de frequência, apesar do preço alto.


BANNERS_VIAGEM-22.jpg

O que comprar

SHOPPING-SAN-ANDRES.jpg

Não perde a oportunidade de fazer algumas compras quando viaja? Separe um espaço na mala, porque San Andrés é um ótimo destino para novas aquisições! A ilha está isenta de impostos e tem produtos mais baratos até mesmo do que em free shops, tornando lojinhas de rua um pequeno tesouro para os consumistas. 

As lojas de San Andrés concentram-se no centro da ilha e vendem todo tipo de produto: calçados, malas, alimentos, roupas, perfumes, eletrônicos etc. No geral, os preços são um pouco mais baixos do que os valores encontrados no Brasil e os produtos podem ser pagos com cartão de crédito, peso colombiano e dólar. 

As avenidas Colômbia, Providência, Las Américas e Colón são ideais para comprar, independentemente do produto desejado. 

Comece a planejar sua listinha de compras, mas tenha cuidado nas lojas que escolher para comprar, sob o risco de adquirir um produto falsificado. Dê preferência a lojas de marcas próprias ou lojas grandes como La Riviera, La Perfumerie, President e Madeira. Não deixe de perguntar por possíveis descontos, que podem ser conseguidos de acordo com a forma de pagamento ou em uma eventual promoção nas lojas. 

É importante lembrar que grande parte dos estabelecimentos comerciais funciona em um horário diferente do Brasil. As lojas abrem em torno das 9h, fecham às 12h30 e reabrem às 15h, funcionando até as 20h/20h30. 

Como se locomover

A pé: para andar pelo centro, uma caminhada certamente é a melhor opção. A pé você terá mais chances de observar as lojinhas e não precisará se preocupar com o trânsito.

De táxi: boa parte dos táxis em San Andrés são velhos e utilizados apenas para aqueles momentos inevitáveis, como o transporte entre o hotel e o aeroporto, por exemplo. Os veículos não têm taxímetro, por isso fique atento ao valor informado pelo taxista ao final da corrida.

De moto: se você está em casal, pode valer a pena alugar uma scooter, como se estivesse em Bali. Se atente apenas ao sol na cara e aos perigos de pilotar uma moto sem ter experiência. Não sei se recomendaria o hospital de San Andrés para se hospedar...

Carrinho de golfe: é possível encontrar carrinhos tradicionais e mais lentos (com espaço para 2, 4 e 6 pessoas) ou um carro mais potente e mais rápido, também chamado de mula (com espaço para 2 ou 4 pessoas). Não se esqueça de procurar diferentes estabelecimentos para aluguel e de negociar o preço. Os carrinhos oferecem um passeio muito legal e o custo é excelente se você viajar em um pequeno grupo. 

 


Como chegar

Da mesma forma como ocorre na parte continental da Colômbia, brasileiros que viajam para San Andrés não precisam de visto, apenas um passaporte válido ou RG com foto. Mas no caso de San Andrés, você precisa comprar uma tarjeta turística para entrar na ilha, que pode ser adquirida com as próprias companhias aéreas na hora do check in. Na saída de San Andrés ou viagem para Providência, essa tarjeta é exigida novamente, então não a descarte. Obs: caso faça conexão no Panamá, consulte sua companhia aérea sobre a necessidade de levar o passaporte! 

Avião: Três empresas fazem o trajeto entre Brasil e San Andrés: Avianca (com conexão em Bogotá), LATAM (com conexão em Lima) e Copa (com conexão no Panamá).  Mas como eu saí de Cartagena, vou contar para você o que eu preferi fazer:

Saindo de Cartagena, Cali, Bogotá, Medellín, você pode voar de Viva Colômbia, uma empresa low cost, que não possui conforto mas o custo benefício compensa por se tratar de uma viagem bem curtinha.

O único inconveniente é que eles te cobram por bagagens despachadas e para a emissão do bilhete caso você não tenha feito isso antes de chegar ao aeroporto. É só ficar ligada nessas regrinhas que você consegue economizar bastante!

Na hora de deixar a ilha, é recomendado pelas companhias estar no aeroporto com duas horas de antecedência, porque quando os vôos estão cheios, formam-se filas grandes no embarque e na imigração. Além disso, é comum ter bolsas e o próprio corpo revistado a fim de evitar o contrabando de drogas. A minha mala mesmo foi toda revistada e eu acabei perdendo um tempinho com isso...

Voar é de fato a maneira mais fácil para brasileiros chegarem ao destino, já que cruzeiros não são tão comuns. O Aeroporto Gustavo Rojas, em San Andrés, é pequeno, porém possui toda a estrutura básica para o passageiro, incluindo lojas duty free. Fica a dica! 

 

Informações úteis

  • A voltagem em San Andrés é de 120V.
  • Para sair do aeroporto, recorra a um táxi credenciado. 
  • Tenha dinheiro em espécie caso queira comprar perfumes, maquiagens, bebidas e eletrônicos. Muitas lojas não aceitam cartão, incluindo a mais famosa, La Riviera. 
  • Como já disse, não deixe de experimentar a queridinha limonada de coco colombiana e se gostar, pode até comprar o leite de coco que eles usam lá para trazer para o Brasil, já que o daqui é bem diferente.
  • Para chegar na Colômbia você precisa ter o certificado internacional de vacina de febre amarela da Anvisa, tirado pelo menos 10 dias antes da viagem! Obs: o certificado brasileiro não vale nesse caso, então tenha certeza de que está com tudo certinho e não esqueça de embarcar com o seu!

Aguardo as dúvidas aqui nos comentários!

Amanda.


Cartagena: super guia de viagem

MURALHA-CARTAGENA.jpg

Sobre Cartagena

A quinta maior cidade da Colômbia vai te impressionar! Primeiro porque você provavelmente acha que é uma cidade pequena - e realmente é se você só considerar a cidade amuralhada, mas há muito além para ser visto...

É uma cidade muito rica em história, cultura e gastronomia, com inúmeros estabelecimentos para visitar - então se você curte esse estilo de viagem, você pode passar dias e dias só curtindo o que Cartagena das Índias tem a oferecer!

Para quem curte um clima mais praiano, a cidade também atende - já pensou em adicionar uma ida à San Andrés? O que muita gente não sabe é que Cartagena é sim banhada pelo mar do Caribe, apesar de não ter aquela água clarinha. Por isso indico visitar sempre as ilhas! Pronta para montar o seu roteiro?

PORTA-CARTAGENA.jpg

Um pouco de história

Fundada em 1533, a Cartagena da Colômbia ganhou esse nome por conta da Cartagena da Espanha. Durante o período colonial, a cidade teve um papel fundamental na administração e na expansão do Império Espanhol nas Américas, sendo sede de governo e moradia dos vice-reis espanhóis. O centro histórico de Cartagena que fica dentro da cidade amuralhada, foi declarado Patrimônio Nacional da Colômbia, em 1959, e é hoje, Patrimônio Mundial da Unesco.


O que fazer

Uma vez que você está dentro da cidade amuralhada, você pode fazer tudo a pé: passear pela torre do relógio, pelas catedrais e praças, ver a estátua da gorda de Botero, as lojinhas e cafés da região, contornar a muralha, ir no Museu de Belas Artes, no Campanário, na Igreja e Monastério San Pedro Cleber, observar as casinhas coloridas e tomar um belo sorvete! Segue agora uma listinha de lugares que você pode conhecer:

Castillo San Felipe de Barajas: construída entre 1536 e 1657, é nada menos que uma fortaleza que protegia a cidade, considerada a maior construção feita por espanhóis no Novo Mundo. Além de ser uma enorme estrutura por fora, dizem que a parte de dentro é cheia de quartos, labirintos, corredores e túneis bem baixinhos e apertados, construídos de forma a surpreender o inimigo (atenção claustrofóbicos: não indico a ida!). Aliás, procure ir bem cedinho ou no final da tarde para fugir do calor!

Islas del Rosario: essas famosas ilhas ficam a cerca de 40 minutos de barco saindo do porto de Cartagena. É na verdade um arquipélago formado por 27 pequenas ilhas, onde a água do mar é bem bonita, diferente do mar em Cartagena. Você pode escolher em qual ilha ficar antes de fechar o seu passeio, dependendo do seu interesse. Se você procura, assim como eu, um lugar sossegado com uma boa experiência de atendimento, indico o Islabela Beach Club. Não indico Playa Blanca por ser bastante muvucado, apesar de ser um dos passeios mais vendidos. Obs: se você também pretende ir a San Andrés, pode considerar pular esse passeio à praia em Cartagena.

ISLABELA-BEACH-CLUB.jpg
ISLAS-DEL-ROSARIO.jpg

Getsêmaní: vale a visita nesse que é o bairro artístico e cultural de Cartagena, e que tem uma noite bastante animada. Lembra a Lapa, no Rio, mas sem muita bagunça, e com uma frequência boa. Mochileiros adoram se hospedar aqui: há bares, restaurantes e até boates na região. 

Bocagrande: caso você esteja hospedado dentro da cidade amuralhada, também vale a pena passear pela região nem que seja de taxi, para conhecer esse bairro que é um mundo paralelo. Moderno, com inúmeros prédios, restaurantes e lojas, também possui hoteis de rede caso você prefira se hospedar ali. A Praia em si não é muito boa, mas a região é conhecida como "Miami da Colômbia". 

Café del Mar: fica em cima da muralha, basta subir para entrar. Não precisa pagar nada, só o que for consumir e você tem a melhor vista do por do sol da cidade. Todos indicam e realmente vale a visita! O dj tocando house music faz o ambiente ficar ainda mais cool e descontraído! Eu amei! ;)

CAFE-DEL-MAR-CARTAGENA.jpg

Café Havana: o café mais tradicional da cidade, fica em Getsemani e abre a partir das 20h. Lá você consegue comprar cafés de lembrancinha, além de curtir uma noite e tanto!


Quando ir

Em Cartagena faz calor o ano todo. A média anual de temperatura está em torno dos 27ºC, mas a sensação térmica vai além disso, devido à umidade. As chuvas e os dias nublados aparecem mais frequentemente entre os meses de Maio e Novembro e o resto do ano é considerado seco. Fui em Setembro e teve bastante sol e pancadas de chuva rápidas!

Períodos de férias, como final de Dezembro a Janeiro e entre Julho e Agosto, costumam ser movimentados na cidade e ter preços de hospedagem mais caros. Fique atenta! 


BANNERS_VIAGEM-34.jpg

o que & onde comer

Restaurante Fuerte San Sebastián del Pastelillo: você vai se sentir de fato no Caribe dos filmes. Muitos frutos do mar e ambiente super agradável de frente para o lago. 

La Mulata: restaurante ideal para um almoço rápido e típico. A decoração é bem interessante e o preço convidativo. Lá você encontra muitos mochileiros e pessoas descoladas, comendo frutos do mar, patacones e arroz de coco. 

Marzola: restaurante argentino especializado em cortes de carne. É bem à vontade, tem uma decoração bastante típica e considero ideal para noites caídas. Cai bem com uma cerveja ou vinho naquele dia em que você quer vestir um look despojado e só relaxar. 

Hard Rock Café: dispensa apresentações!

HARD-ROCK-CAFE-CARTAGENA.jpg

Café Prispri: um cafezinho super simpático no meio do centrinho da cidade amuralhada. Abrem cedo (às 7h) para servir o café da manhã. Super indico caso sua hospedagem não sirva. Aproveitei o fim da tarde e experimentei uma bebida de Aveia com Canela que estava deliciosa!

CAFE-PRISPRI-CARTAGENA.jpg

Crepes & Waffles: rede de restaurantes super considerada na Colômbia toda, esse restaurante conta com um menu bem extenso, onde você escolhe comer crepes, waffles (jura?), massas, saladas, e outros pratos salgados. Destaque também para o menu de sobremesas com diversas taças de sorvete enormes e deliciosas! Você não vai querer perder!

CREPES-AND-WAFFLES.jpg

El Claustro Santa Clara: restaurante de cozinha internacional que fica dentro do Sofitel Santa Clara, tem preços super acessíveis e é bem descolado! Achei a minha cara, e optei por reservar o jantar ali para a minha última noite em Cartagena! Amei e super recomendo!

EL-CLAUSTRO.jpg

Di Silvio Trattoria: localizado em Getsemaní e em Bocagrande, também é super tradicional na cidade. Dizem que a pizza de lá é mara! Quando cheguei nele, estava fechado e dei de cara na porta. Alguns restaurantes da região fecham às 15h e reabrem para o jantar e outros funcionam só a partir das 19h. Procure checar os horários antes de ir!

La Cevicheria: quem ama ceviche não pode perder a experiência gastronômica desse restaurante, considerado o melhor restaurante de frutos do mar de Cartagena. Fica dentro da cidade amuralhada e funciona tanto no almoço quanto no jantar.

Juan Valdez: essa rede de cafés premium da Colômbia, está espalhada por todos os cantos. É uma marca de relevância para os colombianos, quase como um patrimônio, que utiliza o café de diversos produtores colombianos selecionados e possui uma grande variedade de cafés (alguns que eu nem conhecia) e de lanchinhos rápidos. Vale a pena conhecer e comprar o pó em caixinhas para levar de presente!


O que levar

O calor que faz em Cartagena não te permite andar de calça ou roupas muito fechadas e pesadas. Vá no básico do verão para não ter erro! Coloque na sua mala:

  • Chapéu
  • Hidratante corporal  
  • Shorts
  • Camisetinhas
  • Biquínis e maiôs para curtir as praias das Islas del Rosário
  • Protetor solar e protetor labial pois o sol é de arder!
  • Sandálias rasteirinhas é o que você mais vai usar por lá. Deixe os saltos em casa!
  • Batas e vestidinhos, tudo bem fresquinho
  • Uns 2 ou 3 looks mais arrumadinhos para sair à noite
  • Dinheiro em mãos
  • Go pro: para usar nas ilhas e fazer vídeos incríveis!

Onde se hospedar

A cidade amuralhada lembra a Europa, com suas construções baixas, muita história e cultura. Bocagrande lembra os Estados Unidos, com suas modernas construções, shoppings e hoteis de rede. E aí, qual dos dois lugares faz mais o seu estilo? Veja algumas boas opções e escolha qual combina com a sua proposta!

Sofitel Legend Santa Clara: o hotel mais tradicional da região, era um convento antes de virar hotel, naquele estilo de construção com um jardim no meio. Fica dentro da cidade amuralhada, no bairro de San Diego e possui 3 restaurantes com diferentes cozinhas que podem ser acessados por não hóspedes. Vale a visita! 

Mamma hotel: esse hotel boutique também fica dentro da cidade amuralhada, mas com uma proposta mais intimista. São poucos quartos, café da manhã restrito, mas muito conforto e estilo. Decorado com obras de arte de artistas colombianos, conta com uma piscininha para salvar do calor no fim da tarde e atendimento excelente (um beijo para a Lorena)! 

MAMMA-HOTEL-CARTAGENA.jpg

Hyatt: localizado na parte nova de Cartagena, conhecida como Bocagrande, esse é um hotel mais moderno e luxuoso, para quem procura uma grande rede de confiança. Fica um pouco afastado da cidade amurahlada mas nada que 10.000 pesos (cerca de R$10) de táxi não resolvam! 

Resumindo: indico se hospedar dentro da cidade amuralhada caso esteja em casal ou em família. Se estiver sozinha ou entre amigos e preferir um hostel, indico se hospedar em Getsêmani, bairro com a noite mais agitada. Se tiver tempo, complete sua estadia se hospedando também em Bocagrande, que é como se fosse uma outra cidade! 


Como se locomover

A pé: prepare seus pés para caminhar muito dentro da cidade amuralhada!

De táxi: caso fique cansada ou vá para distâncias maiores como Getsemani ou Bocagrande, os táxis valem super a pena! Já o Uber sai mais caro... 

De bike: quem se garante naquelas ruas estreitas, para andar junto com carros, também pode alugar bikes pra passar o dia a preços bem acessíveis

De barco: Ao fazer os passeios para as ilhas, inevitavelmente você terá que pegar um barco através de alguma empresa ou alugar sua própria lancha. Os colombianos estão experts nesses aluguéis, enquanto os turistas de fora fecham os passeios em barcos que normalmente saem bem cheios do porto.  

Obs: os ônibus da cidade são bastante esquisitos e não indicados para turistas. Só entre nele caso realmente queira vivenciar o dia a dia da população local, senão prefira fazer um city tour no famoso ônibus hop on hop off!


Como chegar

VOO-CARTAGENA.JPG

• Avião: Não há nenhuma companhia aérea que ofereça voos diretos entre as capitais brasileiras e Cartagena, mas há empresas estrangeiras que vão para a cidade, fazendo conexão em seus respectivos aeroportos de apoio.

Saindo do Brasil com destino a Cartagena, é possível voar: com a LATAM, fazendo conexão em Lima ou Bogotá; com a Copa, através do Panamá; e com a Avianca, também com conexão em Bogotá. O tempo de viagem varia de acordo com o trajeto, a cidade de partida e o tempo de conexão, porém calcule cerca de 7h no Trajeto Rio-Bogotá mais 1h30 no trajeto Bogotá-Cartagena.

Fazendo uma conexão em Bogotá, não deixe de incluir na bagagem de mão um agasalho porque, diferentemente de Cartagena, faz muuuuito frio na capital colombiana, além de ter uma bela altitude!

Para chegar e deixar o Aeroporto de Cartagena, prefira os táxis credenciados do aeroporto, que farão o trajeto até seu hotel em pouco tempo e cobrando o justo. O preço é fechado antes de entrar no carro e o percurso entre o aeroporto e o centro da cidade dura entre 10 e 15 minutos e custa cerca de 12.000 COP (R$12). 

• Navio: quem curte fazer viagens de navio? Há cruzeiros pelo Caribe que fazem paradas na cidade, permitindo que os passageiros saiam do navio por algum tempo e possam conhecer um pouquinho de Cartagena, mas dificilmente será tempo suficiente.

 

Informações úteis

  • A voltagem em Cartagena é de 120V
  • A moeda utilizada é o peso colombiano, o COP. Tenha sempre dinheiro em espécie pois nem todos os lugares aceitam cartão.
  • Ande sempre com muita água para se hidratar, especialmente em dias que for andar a pé.
  • O supermercado Êxito dá conta de te atender caso queira comprar uns snacks para os passeios. É uma rede presente em vários pontos da cidade.
  • Os táxis não são caros, sugiro sempre negociar o preço antes, sabendo que 15.000 COP é o preço para o local mais distante, que é o aeroporto e portanto em qualquer outra corrida você deve pagar menos que isso.
  • A cidade amuralhada é considerada bastante segura pois tem entradas e saídas específicas, além de bastante câmeras pelas ruas. Então você não precisa ter medo de andar por lá, nem mesmo à noite. Fica tranquila!
  • Para chegar na Colômbia você precisa ter o certificado internacional de vacina de febre amarela da Anvisa, tirado pelo menos 10 dias antes da viagem! Obs: o certificado brasileiro não vale nesse caso, então tenha certeza de que está tudo certinho e não esqueça de embarcar com o seu!

Qualquer outra dúvida, pode deixar aqui nos comentários, ok? ;)

Amanda.